Cuzco Diário de Viagem Peru

Guia do Nativo #12 – Cusco

Cusco (ou Cuzco) é uma cidade e também departamento (Estado) do Peru, fica localizado no sudoeste do país e é a capital histórica de lá.

Introdução

Cusco (ou Cuzco) é uma cidade e também departamento (Estado) do Peru, fica localizado no sudoeste do país e é a capital histórica de lá.

Para não deixar a leitura cansativa pensei em fazer algo diferente, deixarei o material da seção Referências deste post contar a história incrível cheia de lendas sobre a criação desta cidade ao invés de escrever, lá você encontra vídeos dinâmicos e interessantes sobre o tema.

Clique para ampliar!

Agora voltando à introdução…

É uma cidade bastante conhecida, porque é a mais visitada por turistas, já que existem muitos lugares para visitar. De lá também saem as vans e trens para Aguas Calientes, onde se encontra uma das maravilhas do mundo moderno, Machu Picchu.

A cidade de Cusco tem uma arquitetura clássica, e você pode ver pessoas usando roupas tradicionais e eventos que seguem acontecendo desde há muitos anos até hoje. Embora pareça uma cidade tradicional, é bastante moderna, é possível comer em algumas franquias de fast food conhecidas, se hospedar em redes grandes de hotéis e fazer compras em shoppings.

Andando pelas ruas, você encontrará turistas, vendedores, pedintes, pessoas locais indo ao trabalho e muitos táxis e vans que levam para lá e para cá turistas deslumbrados.

Você pode ser mochileiro, turista em busca de luxo ou um turista comum, não se preocupe, a cidade oferece serviços para todos, desde hostels, hostals a hotéis de luxo, desde restaurantes de menu (prato feito) a restaurantes com chefs renomados, você vai se divertir e principalmente aprender muito com as pessoas e lugares que conhecer.

Nossa experiência

Fomos (Eu e a minha companheira) à Cusco desde Lima, foram um pouco mais de 1100 km e como fomos de ônibus, foi quase 1 dia de viagem com uma vista que começa desértica e se torna montanhosa e gelada. Como era uma longa viagem, optamos por um ônibus leito e viajamos a noite para economizar a estada em um hotel.

Durante a madrugada, lembro que a minha companheira passou mal por conta da altura e não tínhamos água para tomar um remédio, tive que pedir água quente e ficar segurando a água em um copo de isopor até ela esfriar o suficiente para que ela pudesse tomar. Do lado de fora faziam 3º C segundo o termômetro.

Chegamos de manhã em Cusco e fomos buscar uma hospedagem, buscando na internet encontramos uma próxima ao terminal terrestre de Cusco onde as hospedagens são mais baratas, pegamos um táxi que nos custou 3 soles e fomos. O hotel nos custou 60 soles por noite.

Se tenho uma coisa a ensinar sobre o Peru é que os restaurantes baratos e bons são os que tem uma plaquinha do lado de fora escrito “MENU”.

Guia do Nativo

Como já estávamos descansados, só tomamos um banho, arrumamos as roupas enquanto assistíamos a TV local e nos preparamos para sair e conhecer a cidade.

Já se aproximava do horário de almoço, pegamos um táxi desde o hostal até o centro de Cusco (5 soles) e começamos a buscar restaurantes baratos.

Os restaurantes no Peru, no geral, não decepcionam, por mais simples que sejam, a grande maioria tem a sua entrada (normalmente uma sopa ou salada), o prato principal (sempre acompanhando adereços, como molhos), um refresco (suco) e em alguns casos, sobremesa.

Encontramos um restaurante há 4 pequenas quadras ao sudoeste do centro, com a plaquinha de menu e pratos típicos, como Pollo a la Brasa (frango assado na brasa) e Pollo Broaster (frango empanado e crocante) (8 soles), escolhemos este para o nosso almoço.

O buffet de acompanhamento era livre, de entrada tínhamos uma sopa de frango e o frango era servido na mesa, o refresco era a parte 3 soles, mas era uma jarra. Eu aproveitei bastante do buffet, mas o frango não estava muito bom e acabei não comendo, estava bastante oleoso e com um tempero estranho.

Clique para ampliar!

Caminhamos na direção do centro, em meio à vendedores e turistas, entramos em uma lojinha e compramos 2 cervejas Cusqueñas, embora eu quase nunca beba, decidi beber nesta ocasião e tirar uma foto em Cusco, brindando a bastante conhecida cerveja da região.

Vimos de longe que havia uma estrutura montada para uma apresentação do coral da igreja e ficamos por ali para ter mais informações de quando aconteceria, fomos abordados por um colombiano que estava viajando o mundo vendendo a sua arte que eram pulseiras, ele perguntou de onde eu era, deduzindo que eu era da Argentina ou do Chile, eu falei que era do Brasil e demonstrando bastante surpresa disse que tinha a cor verde e amarela, eu disse que preferiria a cor amarela porque tem na cor da minha bandeira e da dele, e assim eu lembraria dele no futuro.

Ele gostou bastante de mim e conversando, me disse que estava em um hostel à poucos metros do centro de Cusco, que tinha um wifi muito bom e custava apenas 5 soles a noite, eu fiquei espantado com o preço e pedi o cartão do Hostel. Se estiverem interessados, aí está a foto.

Depois disso caminhamos pelas ruas para conhecer o comércio local. Encontramos lojas luxuosas que vendiam roupas de lã de alpaca, mas claro que essa não era a nossa praia, fomos para um mercado mais popular, onde eu comprei uma meia super quentinha para a minha mãe e uma luva para mim que viria a usar muito e que inclusive tenho até hoje.

Clique para ampliar!

Além de plural, é uma cidade artísticas. Caminhando você se depara com becos decorados e obras de arte montadas em tripés na calçada, como se o artista estivesse pintando ali mesmo, mas na verdade é apenas para chamar atenção a entrada do atelier e loja.

Chegamos à Plaza de Armas novamente e vimos que haviam várias lojas de jóias e bijuteria, lá compramos um anel para a irmã da minha companheira que faria aniversário.

Depois de comprar tanto, seguimos caminhando ao nordeste do centro para ver a Pedra de 12 Ângulos, subindo com destino a um mirante chamado “Mirador de San Blas” e no caminho encontramos uma praça com uma igrejinha super simpática, como eu gosto de entrar em igrejas para conhecer a arquitetura e ver a arte sacra, entramos.

Dentro dessa igreja tinha uma escada em um cantinho meio escondido que levava a sala do sino e subimos para ver onde chegaríamos, não havia nenhuma placa falando que era proibido, então por que não, não é mesmo? Subimos a escada e encontramos uma vista ampla da cidade, acima dos pequenos edifícios, lá tiramos muitas fotos.

Clique para ampliar!

Descemos e seguimos o nosso caminho até o mirante, passando por essa pracinha que normalmente tem apresentação de lhamas para turistas tirarem fotos, pessoas usando roupas tradicionais e artesanatos. Claro que como sempre lá estava eu tirando foto com elas e ajudando um pouquinho o turismo local.

Clique para ampliar!

Finalmente subimos uma longa escadaria e chegamos em um espaço aberto, que não parecia um local turístico, havia alguns jovens usando marihuana por ali e uma quadra poliesportiva vazia que tivemos que cruzar.

No espaço do mirante tem uma placa com o nome e um pedaço da história de Cusco, abordando mais a questão da forma de puma que a cidade tem. Vale a visita.

Após tirar algumas fotos, encontramos um senhor que devia ter uns 60 anos, de estatura baixa, com a feição marcada pelo sol, mas sorridente tocando uma flauta transversal de madeira, tocava a famosa musica tradicional peruana “El Condor Pasa”, ele percebeu que eu reconheci e perguntou de onde éramos, disse que eu vinha do Brasil, e ele disse que estava muito feliz em nos receber e desejou uma ótima viagem.

Clique para ampliar!

Depois desse gesto que para mim foi o mais bonito que recebi em Cusco e que me fez sentir muito bem-vindo, seguimos o nosso caminho com destino ao centro histórico.

Visitamos a igreja principal que tinha algumas tumbas subterrâneas e caminhamos novamente, encontramos um tipo de procissão onde as pessoas vestiam trajes tradicionais, tiramos algumas fotos e voltamos à praça para encontrar o coral que havíamos visto que teria. Foi quando vimos uma brasileira vestida de palhaço que estava viajando pela America Latina e trabalhando em alguns lugares, uma história fantástica, aproveitamos para perguntar se ela sabia onde poderíamos encontrar lugares que fazem cambio de reais e ela nos indicou não só isso, mas a agência mais barata para irmos a Machu Picchu.

Logo voltamos à nossa base, para tomar um banho quente, comer e se preparar para o outro dia.

Referências

https://es.wikipedia.org/wiki/Cuzco <Acesso 03/06/2020 às 20:00>

Acesso <03/06/2020 às 20:10>
Acesso <03/06/2020 às 21:30>
<Acesso em 29/07/2020 11:35>

1 comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: