Parques São Paulo

Guia do Nativo #07 – Parque Aclimação

O Parque da Aclimação está localizado pertinho do centro e é um lugar com uma história espetacular, todo um bairro foi populado ao seu redor, bairro este que teve o seu nome batizado, clica e conheça o Parque que um dia foi Jardim Zoológico Aclimação. Está com preguiça de ler? Assista o nosso vídeo no youtube ou escute o nosso podcast no Spotify!

Podcast

Vídeo

História

O bairro da Aclimação tem seu surgimento diretamente ligado ao Parque da Aclimação, também conhecido como Jardim da Aclimação.

No ano de 1892, o cirurgião e político paulista Carlos José Botelho, que nasceu em Piracicaba, comprou uma grande extensão de terras cobertas com vegetação na região. O lugar era chamado de Sítio Tapanhoim e Botelho decidiu reproduzir ali o Jardim D’Acclimatation de Paris.

Os animais faziam parte do plano de Botelho, então fundou ali o primeiro zoológico de São Paulo. Além disso, havia um centro de pesquisas em cancerologia, o primeiro silo da América Latina e o primeiro clube de equitação (passeio a cavalo) do país, a Sociedade Hípica Paulista .

Na década de 20 o jardim estava em ápice, o acesso se fazia por dois portões altos de ferro fundido. Um deles, o principal, era voltado para a Avenida Aclimação e o outro para a Rua Muniz de Souza. Quando o visitante entrava por aí, dava de cara com uma alameda bem cuidada de uns 2 quilômetros com arvores frondosas que circundavam o largo.

Esta alameda era dividida em duas partes: uma voltada para diversões, bosque, vacaria, com rinque de patinação, salão de baile e barracas de tiro ao alvo; a outra tinha o zoológico que contava com animais diferentes como peixes elétricos da Amazônia, hienas africanas e cobras.

Além destes, contavam com atrações inusitadas como o camelo que se chamava Gzar (que se podia montar) e um Urso-Polar que veio da Alemanha, se chamava Mauricio, este precisava de um ambiente frio, então diariamente eram fornecidas barras de gelo para resfriar o tanque onde o urso ficava pela cervejaria Antarctica, localizada na avenida Paulista.

No estábulo (vacaria) haviam exposições de gado leiteiro importado e isso atraiu o interesse de muitos pecuaristas brasileiros.

Por volta dos anos 30, a família Botelho deu início ao loteamento da região, principalmente das terras de propriedade particular anexas ao jardim, assim começaram a ser povoadas as ruas e alamedas do local, formando os bairros que depois se tornariam subdistritos da Aclimação. O Jardim foi ponto turístico importante, porque haviam só dois em São Paulo, o da Luz e este.

Em 1939, o Jardim da Aclimação, que tinha uma área de 182 mil metros quadrados, era um ponto turístico importante, pois na época só haviam dois em São Paulo: o da Luz e este. Ele foi comprado pela prefeitura, que na época tinha Prestes Maia na gestão, pois os filhos de Botelho passavam por dificuldades financeiras.

Nos anos 50, a área ganhou uma biblioteca, uma Concha Acústica, um playground e um campo de futebol. O bairro foi se desenvolvendo ao redor do parque e se tornando eminentemente residencial.

Jaula do Urso Polar

A partir dos anos 70, a expansão imobiliária fez surgir muitos edifícios, marcando a verticalização do bairro, o aumento da população e o consequente crescimento do comércio.

No decorrer da década de 80, em 1986, a associação dos moradores do bairro e dos defensores do parque, junto com entidades ecológicas, mobilizaram-se e conseguiram o tombamento do Parque da Aclimação, feito pelo Condephaat – Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico e Arquitetônico.

Mesmo com todas as transformações, a Aclimação continua a ser considerada uma região de relativa tranquilidade dentro da cidade de São Paulo.


Atualmente

Hoje a área abriga um lago de cerca de 70 mil metros cúbicos de água, um jardim japonês com espelho d’água, um palco (também chamado de concha acústica), 3 playgrounds, bicicletário com 15 vagas, bebedouros, mesas para picnic, cerca de 40 lixeiras e 49 bancos, 9 mesas-bancos, 3 quiosques, 3 sanitários, local para alimentar pássaros, aparelhos de ginástica espalhados por todo o parque, pista de cooper e caminhada de quase 1.500 metros, 2 quadras poliesportiva, 1 campo de grama sintética e uma quadra de futebol de areia.

Além disso possui uma fauna e flora muito diversa, com cerca de 111 espécies, entre insetos (borboletas e joaninhas), peixes (tuvira e cascudos), anfíbios (sapo-cururu), répteis (cobra-cega e tigre d’água de orelha vermelha), mamíferos (gambá e morcego) e aves diversas.

No lago vivem irerês, mergulhões-caçadores, frangos-d’água, garças, savacus, martins-pescadores, carões, biguás e biguatingas; quero-quero, periquito-rico, joão-de-barro, sabiá-laranjeira e chopim são observadas com facilidade, além de aves de rapina, como gavião-miúdo, gavião-carijó e caracará. Dentre os migrantes estão araponga, irré, bem-te-vi-rajado e juruviara, que visitam as copas das árvores entre setembro e março. Com sorte, pode-se observar a coruja-orelhuda e o gambá-de-orelha-preta, animais de hábito noturno

Sua FLORA é composta por bosques implantados, inclusive sob eucaliptal (Eucalyptus sp.), áreas ajardinadas com espécies nativas e exóticas e brejo. Destaque para os exemplares de cabreúva (Myroxylon peruiferum), guanandi (Calophyllum brasiliense), ipê-branco (Tabebuia roseoalba), jacarandá-mimoso (Jacaranda mimosifolia), leiteira-de-espinho (Pachystroma longifolium), magnólia-branca (Magnolia grandiflora), palmeira-coca-cola (Roystonea borinquena), primavera (Bougainvillea sp.), sete-capotes (Melaleuca leucadendra), sibipiruna (Poincianella pluviosa var. peltophoroides) e suinã (Erythrina speciosa), tamareira-anã (Phoenix roebelenii) e tamareira-de-jardim (Phoenix reclinata). Já foram registradas 125 espécies vasculares, das quais estão ameaçadas de extinção: cedro (Cedrela fissilis), pau-brasil (Paubrasilia echinata) e pinheiro-do-paraná (Araucaria angustifolia). 

O eucaliptal gigante que tem lá foi tombado pelo Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo (CONPRESP) em 2007, junto com as áreas ao redor do parque. Dentre os motivos do tombamento estão o conjunto de áreas verdes remanescentes no local, a situação topográfica em que a área está inserida, a fauna e a flora que ali sobrevivem e a importância histórica e urbanística do local.

O parque recebe entre 5 e 7 mil pessoas nos finais de semana, o público é geralmente o mesmo, moradores do bairro, então também serve como um ponto de encontro.

No Estadio Municipal “Jack Marin” onde está localizada a escola de futebol do parque foi fundado em 25 de outubro de 1947, onde se encontra 2 quadras poliesportivas e 1 campo de 60 x 90 metros que antes era de terra, mas foi reformado e passou a ser de grama sintética, vestiários, departamento médico e administrativo, sala de atendimento multidisciplinar e refeitório. O local recebe clubes de várzea para jogos no final de semana e à noite e é a sede da primeira escola de futebol de campo e salão para crianças e jovens.

Esta escola além de ensinar futebol, tem o objetivo de participar ativamente na educação e formação das crianças do bairro, como disse o professor de educação física Ronaldo Alves, que diz que tem a memória de descer a rampa destino às quadras com 12 bolas e muitos sonhos na cabeça.

As vezes no Domingo bandas de Jazz se apresentam no Quiosque da entrada principal e se junta muita gente para apreciar a música que ecoa por todo o parque.

Curiosidades

Vale um registro que, em 1920, uma sucuri com cerca de 5 metros de comprimento escapou do espaço em que ficava exposta no Jardim Zoológico da Aclimação. Dez homens participaram da operação de captura do réptil.

Uma chuva forte fez uma tubulação que sustenta o lago se romper e isso provocou escoamento da agua, o problema foi resolvido, mesmo assim sentimos saudades de como era antigamente, era bem mais alto, muitos peixes.

O eucaliptal gigante que tem lá foi tombado pelo Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo (CONPRESP) em 2007, junto com as áreas ao redor do parque. Dentre os motivos do tombamento estão o conjunto de áreas verdes remanescentes no local, a situação topográfica em que a área está inserida, a fauna e a flora que ali sobrevivem e a importância histórica e urbanística do local.

As ruas ao redor do parque tem nome de pedras preciosas, como Safira, esmeralda, turmalina e topázio.

Dica do Nativo

Quiosque que abriga pequenos eventos como de dança e ginástica

O parque conta atividades gratuitas como ginástica dançante com músicas contemporâneas, de terças, quintas e sábados das 7:30 às 8:30;

Dá uma passadinha na biblioteca que está anexada ao parque, ela é temática e possui 31 mil exemplares de livros de variados assuntos, cerca de 500 títulos são sobre meio ambiente.

Praça Jorge Cury

Quase que na frente da biblioteca tem uma praça chamada praça Jorge Cury, e lá tem um tipo de monumento bonito que hoje está grafitado com desenhos interessantes e bem coloridos, com certeza de lá sai uma boa foto nas escadarias também, e se quiser ir mais a fundo, visita a outra pracinha (praça Polidoro) que fica ali pertinho, basta subir a rua.

Praça General Polidoro

Na região você encontra diversos restaurantes interessantes, lembrando que este post está saindo em 2019, pode ser que quando esteja lendo, não sejam os mesmo, vale a pena buscar as sugestões que vou deixar abaixo no Mapa do próximo tópico.

Na região tem varios tipos de restaurantes, mas os que eu recomendo são:

  • Falafel SP: R. Safira, 293 – Aclimação, São Paulo – SP
    • É um restaurante árabe delicioso com muitas opções inclusive veganas.
  • Bicol: R. José Getúlio, 422 – Aclimação, São Paulo – SP
    • Este possui gastronomia coreana e é super tradicional, sempre tem coreanos por ali, o que significa que a comida é boa.
  • Babbo Giovanni: R. Pedra Azul, 610 – Aclimação, São Paulo – SP, 80240-120
    • Tem uma pizza deliciosa, geralmente frequentada por moradores do bairro, arrisco dizer que é a melhor pizzaria da região, mas não é uma opção barata.
  • Azami Sushi: R. Topázio, 243 – Aclimação, São Paulo – SP
    • Comida japonesa e que delicia, não é nada econômico, mas se você é morador da região e nunca comeu, vale a recomendação
  • Para bares tem o Espetinho Vaca Louca: Av. Armando Ferrentini, 31 – Aclimação, São Paulo – SP
    • É bem animado e as vezes até “temático” .

Amigos, estas são as dicas para o seu Momento Magnata ou para pessoas que fazem turismo gastronômico, não tem como negar que na região tem vários restaurante gostosos e de distintos tipos de comida.

Mas claro que eu por exemplo com o meu estilo de viagem, nem passaria perto. Como sempre, recomendo acima de tudo que você leve a sua comida e economize o máximo possível para ter mais acesso a experiências. Eu posso falar com propriedade desses lugares porque eu MORO na região e eventualmente durante toda a minha vida morando neste lugar, os visitei.

Se você não quer gastar muito e esqueceu de levar a sua marmitinha, ali perto também tem mc donalds, burguer king, subway, padarias e varias lanchonetes.

A última dica é para você assistir os vídeos nas referências!

Localização

No mapa abaixo você encontra a rota desde o ponto de ônibus mais próximo, mas você pode alterar esta rota, basta clicar em “Visualizar mapa ampliado” e editar.

Como chegar

Você pode ir de ônibus, às linhas que passam próximas ao parque estão abaixo, no tópico acima você encontra a rota do ponto de ônibus mais próximo ao parque. (250m)
408A-10 – Machado de Assis / Cardoso de Almeida (Trólebus)
508L-10 – Aclimação / Terminal Princesa Isabel (Circular)
857R-10 – Aclimação / Terminal Campo Limpo


Você também pode ir de Metrô, o parque é próximo da Estação Paraíso (1,4km) das linhas 1-Azul e 2-Verde.

Horário de Funcionamento

Funcionamento: das 5h às 20h, sujeito a mudança no horário de verão, durante comemorações ou exposições.

Quadras poliesportivas: Seg. a Sex. das 11:30 às 13:30 e das 17:00 às 18:00 / Sábado e Domingo até às 17:00 (não havia horário inicial na placa)

Referências

Acesso em 01/07/19 às 8:50

https://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/meio_ambiente/parques/regiao_centrooeste/?p=5728 Acesso em 01/07/2019 às 09:24

http://www.saopaulo.sp.gov.br/conhecasp/parques-e-reservas-naturais/parque-da-aclimacao/ Acesso em 01/07/2019 às 09:25

http://www.saopauloinfoco.com.br/bairro-da-aclimacao Acesso em 01/07/2019 às 09:40

http://especial.folha.uol.com.br/2016/morar/paulista-centro/2016/05/1766336-parque-da-aclimacao-apresentou-bichos-aos-paulistanos.shtml Acesso 01/07/2019 às 09:42

https://pt.wikipedia.org/wiki/Parque_da_Aclimação Acesso 01/07/2019 às 09:43

Acesso em 01/07/2019 às 12:35

https://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/meio_ambiente/parques/programacao/index.php?p=5728 Acesso em 01/07/2019 às 18:28

https://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/upload/SITE%20SVMA%202018%20PQ%20ACLIMACAO(1).pdf Acesso em 01/07/2019 às 18:31

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: